Secretaria da Cultura

go!
Cadastro para Jornalistas
Nome:
Email:
Veículo:
Função:
Endereço:
Cidade: Estado: Cep:
Telefone:
Cadastro para Jornalistas


Solicitação de cadastro enviada com sucesso!
Em breve faremos contato.
Comunicação | Destaques na Mídia
Brasileiros
Por Fernanda Cirenza
março, 2013
Desde o ano passado, a companhia também administra o Dança em Rede (espécie de "Wikipédia"), site que reúne verbetes sobre escolas, obras, artistas e companhia. O bacana desse projeto é que qualquer internauta pode incluir um item no site, desde que aceito pelo filtro da SPCD.
Revista Concerto
março 2013
Considerada um dos principais grupos do gênero no Brasil, a SPCD terá neste ano, além do inédito programa de fidelização de público, a estreia de seis obras; a segunda edição do ateliê de Coreógrafos Brasileiros – iniciativa que incentiva a produção de compositores nacionais -; e uma turnê pela Europa, no primeiro semestre, entre outras atividades.
O Estado de S. Paulo
Por Maria Eugênia de Menezes fevereiro 2013
O lançamento de um programa de assinaturas e o anúncio da temporada 2013 marcaram os cinco anos da SPCD. Criado em 2008, com a finalidade de ser uma companhia de repertório, o corpo de baile tem algumas conquistas importantes para exibir. Seu público mais que dobrou – passou de 19.689 em 2008 para 49.188 no ano passado. Cresceu consideravelmente também o número de apresentações, foram 39 em seu ano de estreia e 79 em 2012.
Revista de Dança
fevereiro 2013
Com as obras de 2013, a Companhia amarra sua própria assinatura e história.
Revista de Dança
fevereiro 2013
A cidade de Bregenz, na Áustria, espera a São Paulo Companhia de Dança, em maio, com os 1.750 ingressos do Bregenzer Frühling, Festspielhaus Bregenz esgotados. É a terceira turnê pela Europa do grupo, criado e mantido pelo Governo do Estado de São Paulo, em 2008, e já alimenta expectativas: trata-se da primeira estreia fora do Brasil.
Veja SP
fevereiro 2013
Comemorando cinco anos de existência, a São Paulo Companhia de Dança terá um ano cheio pela frente. Criada e mantida pelo Governo do Estado de São Paulo, o grupo já trabalha em remontagens e novas criações internacionais, além de se preparar para uma turnê europeia ainda no primeiro semestre.
Marie Claire
Ana Carolina Ralston
fevereiro 2013
Coreógrafos jovens em ascensão e aposta em figurinos modernos, irreverentes e nada convencionais fizeram da São Paulo Companhia de Dança uma das instituições mais versáteis de sua área no país.
Jornal de Piracicaba
fevereiro 2013
O ano da SPCD acabou de começar e os ingressos para as temporadas do grupo em Wolfsburg, na Alemanha, e de Bregenz, na Áustria, nos meses de abril e maio, já estão esgotados.
O Povo
Por Elisa Parente
fevereiro 2013
A bibliografia da dança brasileira ainda esbarra na escassez de títulos e na dificuldade de acesso ao material que muitas vezes é transmitido pela tradição oral ou guardado em acervos pessoais. Para reverter este cenário, projetos como o Figuras da Dança, promovido pela São Paulo Companhia de Dança (SPCD), e o Memória Viva – Histórias da Dança do Ceará, desenvolvido pelo Curso de Graduação em Dança, da Universidade Federal do Ceará (UFC), têm buscado preencher lacuna existente para quem pesquisa o movimento.
Folha de S. Paulo
Por Katia Calsavara
janeiro 2013
Com cinco anos de existência, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD), dirigida por Inês Bogéa, abre sua programação deste ano com a previsão de aproximadamente 80 espetáculos.
Por Ali Hassan Ayache
janeiro 2013
São Paulo Companhia de Dança - A melhor trupe de dança do Brasil não para nem em janeiro. A Companhia ataca em diversas frentes, além das belas coreografias apresentadas nos palcos brasileiros em 2012, agora temos o lançamento de um belo livro (Em Cena).
O Globo
Por Marcia Abos
janeiro 2013
Amor, vida e morte são os temas da temporada 2013 da São Paulo Companhia de Dança. A estreia de quatro coreografias inéditas e a remontagem de duas obras emblemáticas da dança contemporânea são os destaques da programação do quinto ano de existência do grupo paulista.
DCI
janeiro 2013
A São Paulo Companhia de Dança (SPCD), criada e mantida pelo Governo do Estado de São Paulo desde a sua fundação em 2008 e dirigida por Inês Bogéa, começa 2013 com uma temporada de assinaturas, criações internacionais, remontagens de grandes nomes da dança, a segunda edição do Ateliê de Coreógrafos Brasileiros, uma turnê pela Europa no primeiro semestre, quatro personalidades brasileiras retratadas no projeto Figuras da Dança, uma ferramenta que mapeia a dança do Brasil, a continuidade de todos os projetos e muitas outras novidades.
O Estado de Minas – Belo Horizonte (MG)
janeiro 2013
A São Paulo Companhia de Dança, criada em 2008, além de produzir e circular com espetáculos inéditos, vem investindo numa das áreas mais carentes da cultura brasileira: a preservação da memória. Exemplo a ser seguido por outros estados, não apenas na área da dança
Século Diário- Vitória (ES)
janeiro 2013
Sob a direção de Inês Bogéa, o grupo foi criado em 2008 e tem arrematado diversos prêmios pelo país graças à qualidade técnica dos seus bailarinos. Em 2012, sua montagem Bachiana nº 1 foi eleita pela revista Veja SP o melhor espetáculo de dança do ano
Folha de S. Paulo
Por Flavia Couto
janeiro 2013
Como um país mestiço, o Brasil tem a multiplicidade na base da formação cultural, e a arte reflete essa condição. O "Figuras da Dança" revela parte dessa riqueza, que pouco é contada.
Folha de S. Paulo
Por Flavia Couto
janeiro 2013
Depois de tanto aprender sobre a trajetória da dança na Europa, ensinar sobre seus próprios criadores é uma tarefa apropriada para a SPCD, companhia oficial do Estado de São Paulo.
Loja Ana Botafogo
janeiro – 2013
Me senti de novo no Zurich Ballet, pela inten¬si¬dade, vari¬e¬dade e riqueza do que se faz ali, um reper¬tó¬rio que já tes¬te¬mu¬nha a gran¬deza dessa jovem com¬pa¬nhia. A SPCD dança Balanchine, Pederneiras, Cranko, Duato, só pra citar alguns pou-cos. E QUE pou¬cos, não..?! Uma com¬pa¬nhia fun¬dada em 2008 e que já tem esse peso só pode mere¬cer todas as aten¬ções, do público e dos res¬pon¬sá¬veis por mantê-la e esti¬mu¬lar cada vez mais seu cres¬ci¬mento." – Por Manoel Francisco, ensaiador da SPCD
Glamour
dezembro 2012
São Paulo Companhia de Dança está prestes a estrear três coreografias contemporâneas incríveis. Detalhe precioso: os autores são brasileiros! Relacionamentos, desejo e vibração (...) As palavras resumem a bem mensagem que as três novas coreografias contemporâneas da São Paulo Companhia de Dança (iniciativa exemplar do Estado de SP) querem passar. Elas foram criadas por artistas que saíram diretamente do 1º Ateliê de Coreógrafos Brasileiros para as salas de ensaio da Companhia e se preparam para subir ao palco nos dias 12 e 13 de dezembro, em São Paulo.
O Estado de S. Paulo
Flávia Guerra
dezembro 2012
A experiência de reunir novos nomes para criar para a SPCD se revela experiência rica, em que coreógrafos e bailarinos se contaminam e criam juntos.
Revista de Dança
dezembro 2012
Diferentemente do extinto Ateliê de Coreógrafos da Bahia, que existiu no cenário brasileiro entre 2002 e 2006, a proposta da São Paulo Companhia de Dança não é só dar espaço à criação, mas também a de promover a circulação das obras, pelo interior do Estado de São Paulo, diversas capitais e exterior.
Jornal de Piracicaba
outubro 2012
À frente da São Paulo Companhia de Dança desde o seu surgimento, Inês Bogéa revelou um novo formato de trabalho em companhias de dança no Brasil. A produção e circulação de espetáculos, geralmente a mais importante vertente de atuação de um grupo do segmento, encontra eco em programas educativos e de formação de plateia e também ações de registro e memória da dança. Às vésperas de completar cinco anos, com números expressivos de atuação – eles foram vistos por aproximadamente 250 mil pessoas, fizeram mais de 300 apresentações, em 50 cidades, e atenderam mais de 45 mil professores e estudantes.
Diário Oficial
Maria Lúcia Zanelli
outubro 2012
Uma das marcas da São Paulo Companhia de Dança (SPCD) é a variedade do seu repertório. Após a apresentação de In The Middle, Somewhat Elevated, do norte-americano William Forsythe, a companhia envereda para o balé clássico do século 19. Dois Grand Pas de Deux clássicos de Marius Petipa: o do Quebra-nozes e Dom Quixote serão apresentados lado a lado na nova obra da companhia, intitulada Dois a Dois.
Poa em Cena
Cibele Sastre
outubro 2012
A Companhia, comprometida com a presentificação de repertórios de coreógrafos consagrados nem sempre em circulação pelo Brasil, além de comprometer-se com o rigor de cada obra e coreógrafo, nos mostra a excelência de um grupo afinado e preciso. Feito no Brasil.
Veja São Paulo
setembro 2012
A São Paulo Companhia de Dança, grupo paulista criado em 2008, tem a maior parte de seu repertório calcado em remontagens estrangeiras. A escolha vale para diversificar as apresentações com peças de estilos diferentes e também, para trazer à cidade espetáculos de qualidade que talvez nunca passassem por aqui.
Uia Diário
Alice Coutinho
setembro 2012
No início do ano tive a oportunidade de conhecer o trabalho dessa nova companhia, e fiquei impressionada com o trabalho sério e criativo que eles desenvolvem. Além da produção e circulação dos espetáculos de dança a companhia aposta também em programas educativos para estudantes e professores, um núcleo de memória da dança com produção de documentários sobre bailarinos e coreógrafos importantes na história da dança no Brasil, e uma área de publicações."
Folha de S. Paulo
Clarissa Falbo
julho 2012
O grupo mostra uma coreografia do americano William Forsythe, importante nome da dança mundial e um trabalho do mineiro Rodrigo Pederneiras. Isso comprova a vocação da companhia para apresentar coreógrafos atuais com muito rigor.
Hoje em Dia
Miguel Anunciação
julho 2012
Coreografias assinadas pelos mais renomados artistas da dança jamais estão acessíveis a companhias de calibre duvidoso. São territórios onde os fracos não têm vez. Portanto, a autorização para montar uma obra de Balanchine ou Jirí Kylián, significa mais que o selo de qualidade que os patrimônios artísticos já possuem. Também sinaliza o quilate de quem se propõem a ombrear com eles. É com todo esse aval que a São Paulo Companhia de Dança volta a Belo Horizonte.
Danse
Roland Clauzet
julho 2012
Causa-nos admiração ver a segurança e determinação com as quais esta jovem companhia de um pouco menos de cinco anos de idade se elevou na primeiríssima fila no panorama coreográfico do Estado de São Paulo (...) Para chegar a este resultado foi necessário constituir um grupo sólido e capaz de uma grande flexibilidade para se adaptar a estilos muito diferentes. Este grupo amadureceu rapidamente. Considerando cada bailarino em particular, o domínio técnico e a classe impõem sua evidência.
Blog Opera Ballet
Ali Hassan Ayache
junho 2012
A São Paulo Companhia de Dança mostra mais uma vez estar no caminho certo para sua consolidação como o melhor grupo de dança do Brasil. A excelência técnica conseguida em um curto período de tempo, excursões para cidades do interior e de outros Estados e o lançamento de diversas coreografias interessantes são fundamentais.
Revista de Dança
Ana K. Rodrigues
maio 2012
O acompanhamento do Naipe de Cellos da Orquestra Sinfônica de São Paulo (Osesp) complementa a bela interpretação dos bailarinos da São Paulo Companhia de Dança na Virada Cultural. A peça inclui um sensual e forte pas de deux dos bailarinos Samuel Kavalerski e Luiza Lopes .
Música, Ópera e Ballet
Ali Hassan Ayache
abril 2012
Rodrigo Pederneiras mostrou todo seu talento em Bachiana nº1, o competente coreógrafo mineiro abusou dos passos sensuais em um longo pas de deux, primorosamente executado pelos bailarinos Luiza Lopes e Samuel Kavalerski. A força da música de Villa-Lobos unida a movimentos intensos, muitas vezes rápidos e excitantes, mostram o poder supremo da dança. Luz, figurino e música se harmonizam em uma grande atmosfera romântica. Grande trabalho.
O Estado de S. Paulo
Maria Eugênia de Menezes
abril 2012
Assinada por Rodrigo Pederneiras, reconhecido coreógrafo do Grupo Corpo, Bachiana nº1 é uma mescla de estéticas bastante distintas. Assiste-se ao encontro do pendor clássico da companhia paulista com o estilo de Pederneiras: uma leitura contemporânea de formas populares da dança brasileira. Uma brasilidade imediatamente reconhecível, mas que não resvala nunca no exótico ou folclórico.
SP Notícias
fevereiro 2012
A máxima de que o aeroporto é a saída do artista brasileiro não é mais verdadeira para os bailarinos profissionais. Com quatro anos de existência, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD), tem atraído jovens talentos brasileiros que estavam no exterior. De quebra, tem levado o artista aonde o povo está e formando plateia .
NGZ | Neuss, Alemanha
Von Stephanie Torloxten
fevereiro 2012
A São Paulo Companhia de Dança prova de maneira maravilhosa como o balé moderno pode ser versátil. Além disso, consegue mostrar em cada peça, para um público absolutamente encantado, sua vitalidade e energia .
Estadão Online
Juliane Freitas
janeiro 2012
Quem anda pela estação Brás poderá contemplar a partir desta terça-feira, 10, algo além do incessante vai-e-vem de pessoas que circulam pelos trens. Serão 18 imagens de uma exposição organizada pelo Metrô de São Paulo e a São Paulo Companhia de dança a tentar cativar a atenção dos passantes .
Veja SP
setembro 2012
A São Paulo Companhia de Dança, grupo paulista criado em 2008, tem a maior parte de seu repertório calcado em remontagens estrangeiras. A escolha vale para diversificar as apresentações com peças de estilos diferentes e também, para trazer à cidade espetáculos de qualidade que talvez nunca passassem por aqui.
Roland Clauzet
La Danse
julho 2012
Causa-nos admiração ver a segurança e determinação com as quais esta jovem companhia de um pouco menos de cinco anos de idade se elevou na primeiríssima fila no panorama coreográfico do Estado de São Paulo (...) Para chegar a este resultado foi necessário constituir um grupo sólido e capaz de uma grande flexibilidade para se adaptar a estilos muito diferentes. Este grupo amadureceu rapidamente. Considerando cada bailarino em particular, o domínio técnico e a classe impõem sua evidência.
Maria Eugênia de Menezes
O Estado de São Paulo
abril 2012
por Rodrigo Pederneiras, reconhecido coreógrafo do Grupo Corpo, Bachiana nº1 é uma mescla de estéticas bastante distintas. Assiste-se ao encontro do pendor clássico da companhia paulista com o estilo de Pederneiras: uma leitura contemporânea de formas populares da dança brasileira. Uma brasilidade imediatamente reconhecível, mas que não resvala nunca no exótico ou folclórico.
Bell Kranz
Elle
abril 2012
Todo espectador deveria ter direito a ver um ensaio do espetáculo antes da estreia. O ensaio também é um show. Como o que acompanhamos da São Paulo Companhia de Dança. Devido à proximidade com o bailarino na sala, diferentemente do teatro, você vê o seu suor, respira com ele.
Von Stephanie Torloxten
NGZ
Neuss - Alemanha
março 2012
A São Paulo Companhia de Dança prova de maneira maravilhosa como o balé moderno pode ser versátil. Além disso, consegue mostrar em cada peça, para um público absolutamente encantado, sua vitalidade, energia e fogo.
 
SP Notícias
fevereiro 2012
A máxima de que o aeroporto é a saída do artista brasileiro não é mais verdadeira para os bailarinos profissionais. Com quatro anos de existência, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD), tem atraído jovens talentos brasileiros que estavam no exterior. De quebra, tem levado o artista aonde o povo está e formando plateia.
Celi Barbier (correspondente)
Dança Brasil
dezembro de 2011
A notícia da vinda da SPCD a Festspielhaus, nos alegrou muito sabendo que o primeiro passo de uma companhia estrangeira é decisivo, e a famosa casa de espetáculos que acolhe estrelas e ensembles é um cartão de visitas dos melhores. (...) O programa inteligente, prõpoe quatro obras exigindo interpretações diversas, com uma Companhia perfeitamente apta à fazê-lo. Um sucesso estrondoso sustenta nossa opinião. A São Paulo Companhia de Dança caminha a passos largos para um lugar no firmamento das estrelas mundiais.
Raquel Paulino
Metro
São Paulo – SP
novembro 2011
A tradição e a modernidade se encontram na última apresentação do mês de novembro da SPCD. O grupo criado pelo Governo do Estado em 2008 leva ao palco do Teatro Bradesco três obras do seu repertório. (...) É uma das últimas chances do ano para assistir a uma combinação tão singular de coreografias.
Wendy Peron
Dance Magazine
Nova York – USA
outubro 2011
Esta jovem companhia de balé optou por um programa triplo aventureiro. Apenas com três anos de idade apresentou duas obras que a maioria das companhias de balé não chegaria perto – de Nacho Duato à térrea Gnawa e à tensa Supernova, de Marco Goecke.
 
Maria Constanza Bertolini
La Nacion
Buenos Aires - Argentina
setembro 2011
Em sua estréia em Buenos Aires, a São Paulo Companhia de Dança impressionou o público com um excelente programa. A Companhia é jovem: somente em 2008 tocaram o sinal para o início das atividades. Mas em três anos já fizeram muito. Para começar, selecionaram, treinaram e mantiveram em seu elenco excelentes bailarinos. O passo seguinte foi absorver em seu repertório obras de coreógrafos consagrados, o que enriqueceu o perfil de seu corpo de bailarinos, transformando-os em um elenco de primeira grandeza.
Roland Clauzet
La Danse
Paris - França
setembro 2011
Sabendo que o Balanchine Trust concede autorizações apenas para companhias com um nível técnico superior, ler o nome de Balanchine no cartaz de um grupo de dança pouco conhecido atrai imediatamente a atenção (...) Este grupo, igualmente à vontade no clássico e no moderno, acreditamos poder compará-lo aos bailarinos de Nanette Glushak do Capitole de Toulouse. Mesma tecnicidade, mesma agilidade e elegância, mesmo espírito de equipe.
Veja
agosto 2011
Com um currículo de produções primorosas, a companhia paulistana promete fazer valer o convite para participar da conceituada temporada só Teatro Alfa
Ali Hassan
Blog Ópera Ballet
agosto 2011
Tempo, palavra complexa, abstrata e implacável. Tudo gira em torno dele. Com ele adquirimos sabedoria e maturidade. Com o tempo envelhecemos, aprendemos e, o principal vivemos. Para atingirmos níveis de excelência em nossa área precisamos dele. Alguns sabem enganá-lo e ludibriá-lo, conseguem brincar com a abstração. A São Paulo Companhia de Dança é um dos raros fenômenos que enganaram o tempo, precisaram pouco dele para atingir um nível de qualidade única. A apresentação no Teatro Alfa dia 27/08/2011 me deixou com essa impressão.
Maria Eugênia de Meneses
Estado de S. Paulo
São Paulo
agosto 2011
Criada em 2008, com pretensão de retornar coreografias do repertório clássico, a companhia não fugiu a essa sua proposição inicial. Nesses três anos delineou um percurso que tem os pés fincados na tradição. Nunca deixou, porém, de se aventurar por outros territórios. E flerta, sempre que pode com o contemporâneo.
Nikolaus Schmidt
Badische Neueste Nachrichten
Baden-Baden – Alemanha
julho 2011
Serenade foi representada com passos enérgicos, empolgantes e cheios de vitalidade (...). Polígono, com sombras projetadas, refinadas cenas duplas são representadas e mostram exatamente como Silvestrin procura interpretar a música de Bach. (...) Com o contemporâneo Os Duplos e a música de marcação forte de André Abujamra, Maurício de Oliveira criou um trabalho que impressiona. (...) Essa apresentação na Festspielhaus foi um importante passo na carreira da SPCD. E para o público presente foi uma oportunidade única para descobrir uma nova companhia de dança.
Sabine Rahner
Badisches Tagblatt
Baden-Baden - Alemanha
julho 2011
Os jovens sul-americanos, que faziam sua primeira apresentação fora de seu país poderiam contar com uma plateia receptiva, o que foi confirmado pelo entusiasmo com que o público os recebeu. A São Paulo Companhia de Dança foi fundada em 2008 pelo Estado de mesmo nome e representa a dança brasileira, berço de inúmeros talentos como a excepcional Marcia Haydée. (...) Essa apresentação na Festspielhaus foi um importante passo na carreira da SPCD. E para o público presente foi uma oportunidade única para se descobrir uma nova companhia de dança.
Caderno+
Botucatu – SP
junho 2011
A sincronia, perfeição e desenvoltura dos dançarinos em todas as coreografias, tanto nas modernas, com mais de 10 bailarinos ao mesmo tempo em cena, tanto na clássica com o tradicional casal são quesitos dignos de arrancar suspiros de quem admira o espetáculo, e foi exatamente o que aconteceu em Botucatu.
Carolina Giovanelli
Veja SP
abril 2011
Theme and Variations, versão atualizada da peça do russo George Balanchine embalada por Tchaikovsky, esbanja impecáveis passos clássicos de treze casais. A inédita Inquieto, de Henrique Rodovalho, vem por último. Movimentos de dança contemporânea mostram força em meio a um cenário composto por um emaranhado de fios.
Flávia Couto
Folha de S. Paulo
abril 2011
É possível um grupo adaptar-se às diversas variações estilisticase ao mesmo tempo criar sua própria marca? Essa questão pode ser uma inquietação, mas o que se vê em "Legend" e "Inquieto" é a convivência serena entre o clássico e o contemporâneo
Sidney Molina
Folha de S. Paulo
abril de 2011
Assistir a espetáculos tão diferentes dançados na mesma noite pelo mesmo grupo parece mesmo algo inverossímil. Porém a SPCD faz com que esse feito venha à cena (...) A SPCD mostra que sua marca é a versatilidade. Sem um coreógrafo residente, a companhia sustenta o desafio de adaptar-se às propostas dos coreógrafos convidados e abranger em seu repertório montagens de obras clássicas e modernas. É possível um grupo adaptar-se às diversas variações estilísticas e ao mesmo tempo criar sua própria marca? Essa questão pode ser uma inquietação, mas o que se vê em "Legend" e "Inquieto" é a convivência serena entre o clássico e o contemporâneo | Avaliação: ótimo.
Revista Veja SP
março 2011
Ver os 41 bailarinos de uma das maiores companhias paulistana em cena é quase sempre garantia de bom programa. No sábado (26), quando a São Paulo Companhia de Dança estreia duas coreografias e retoma uma montagem de 2010 no teatro do Sesc Pinheiros, isso deve se repetir.
Rafael Braz
Jornal A Gazeta
Vitória – ES
fevereiro 2011
Normalmente carente de grandes espetáculos de balé e dança em geral, Vitória recebe a partir da sexta-feira uma das mais ativas e respeitadas companhias de dança do país, a São Paulo Companhia de Dança.
 
TV União
Belém – PA
fevereiro 2011
É com um trabalho voltado para ações de educação e formação de novas platéias, que a SPCD ela vem obtendo seus melhores resultados sociais. Um deles é o programa "Espetáculo Aberto para Estudantes", que abre as cortinas da dança para alunos de escolas públicas, que têm a oportunidade de conhecer de perto o processo de criação e montagem de espetáculos. O programa educativo, assim como outros da companhia, já beneficiou aproximadamente 30 mil pessoas, entre educadores, alunos e bailarinos, em 42 cidades e agora chega a Belém, dentro da programação do XI Encontro Internacional de Dança da Pará (Eidap) com a participação de 550 bailarinos, professores e alunos de escolas públicas.
Rua Três Rios 363 | 1º andar| Bom Retiro
São Paulo | SP | CEP 01123-001
Tel: +55 11 3224-1380
REALIZAÇÃO:

Website desenvolvido por VAD