Secretaria da Cultura

go!
Cadastro para Jornalistas
Nome:
Email:
Veículo:
Função:
Endereço:
Cidade: Estado: Cep:
Telefone:
Cadastro para Jornalistas


Solicitação de cadastro enviada com sucesso!
Em breve faremos contato.
Memória | Depoimentos Públicos
Sônia Mota (1948)
Fotos: Emidio Luisi
Depoimento público gravado em 27 de julho de 2010, no Teatro Franco Zampari, em São Paulo. Figuras da Dança 2010
A grande escola da dança é a vida. O artista só se faz se jogando na vida.
Eu não queria só fazer balé, eu tinha que encontrar um refugio na vida.
O cotidiano era um pouco triste, um pouco cinza. Era na dança que eu encontrava as cores da vida.
Eu tinha muito talento para dançar, mas eu não tinha aquela perna, aquele pé e nem aquele corpo.
Eu não era rebelde, no sentido agressivo, eu era
inquieta.
Mas do que o espetáculo, eu gostava de ensaiar e de fazer aula.
Eu só posso criar se eu tiver uma necessidade de vida urgente.
Uma vez em Viena, James Saunders, me chamou para dar um curso no espaço dele, 15 dias depois, ele me enviou uma carta me fazendo um convite para ficar por um ano. Só que esse contrato foi se renovando, se renovando e acabei ficando 20 anos.
O corpo alemão é mais contido, então tentando entender este corpo acabei entendendo melhor o meu.
Eu dei o nome de Arte da Presença para minha aula, que é um treinamento em que o bailarino entra na sala de aula e não fica preocupado em executar nada, mas em aprender aquilo que ele esta fazendo, sentir, e tomar pose daquilo e fazer do jeito
dele.
Eu trabalho com imagens, imagina que tem farinha de rosca e você é uma banana se enrolando na farinha de rosca. Então ele vai se sentindo banana e vai fazendo o rolinho exatamente como tem que ser.
O verdadeiro artista não tem escola, ele usa a escola para aprender os meios. Todo mundo pode ir a uma escola de dança, todo mundo pode dançar, mas nem todo mundo pode ser o artista da dança, e isso não sou eu como professora ou artista que vai dizer, cada um irá saber sozinho.
Acho que a gente nasce sozinho, vive sozinho e morre sozinho, temos encontros no meio da vida, mas ela é sozinha.
A natureza é sozinha, a cada planta que nasce, nasce em silêncio sozinha, ai nasce uma planta aqui, outra ali, e essas individualidades nascendo é que forma um todo.
Rua Três Rios 363 | 1º andar| Bom Retiro
São Paulo | SP | CEP 01123-001
Tel: +55 11 3224-1380
REALIZAÇÃO:

Website desenvolvido por VAD