Secretaria da Cultura

go!
Cadastro para Jornalistas
Nome:
Email:
Veículo:
Função:
Endereço:
Cidade: Estado: Cep:
Telefone:
Cadastro para Jornalistas


Solicitação de cadastro enviada com sucesso!
Em breve faremos contato.
E-mail:
Senha:
Dança em rede
O que é
Dança em Rede?
Uma enciclopédia colaborativa online da dança, que busca conhecer e divulgar a dança do Brasil. Os visitantes podem escrever e editar verbetes com fotos, textos, links para sites de compartilhamentos de vídeos e publicações, em diversas categorias: grupos, escolas, profissionais da dança, companhias, e outros. O Dança em Rede apresenta textos informativos sobre a dança do Brasil e exterior, com o objetivo de ampliar e democratizar o acesso à esta arte.
Seja um colaborador
A plataforma é aberta a todos os interessados. Você pode participar incluindo ou completando verbetes existentes. Para isso, basta se cadastrar gratuitamente em nosso sistema.
Verbete do dia
Tony Seitz Petzhold
Categoria: Profissionais da dança
Cidade natal: Porto Alegre - Rio Grande do Sul (Brasil)
Nascimento: 21/02/1914
Falecimento: 06/04/2000
Biografia:
Filha de alemães, Antônia Seitz Petzhold, conhecida como Tony Seitz Petzhold, estudou dança e piano desde pequena, quando frequentava a Sociedade Ginástica de Porto Alegre (Sogipa). Aos cinco anos, ela já participava de festas sociais da instituição e de manifestações da comunidade alemã em Porto Alegre.

A partir de 1928, passou a estudar no então recém-fundado Instituto de Cultura Física (ICF), dirigido por Nenê Dreher Bercht e Mina Black-Eckert, onde teve aulas de ginástica, acrobacia, dança à caráter e rítmica e se apresentou no espetáculo "A Lenda da Princesa Moura" (1930), inspirado na obra “Mil e uma Noites”.

No fim de 1931, por motivos familiares, Nenê deixou a instituição, que ficou sob comando exclusivo de Mina. No fim de 1933, ela engravidou e nomeou Tony como sua monitora e ajudante nas aulas de educação física. No ano seguinte, a pupila deixaria de lado sua formação em orquestração e regência para assumir sozinha a direção técnica e administrativa do Instituto que, à época, havia começado a sofrer concorrência do estúdio de Lya Bastian Meyer (1911-2006), ex-aluna do ICF que havia se especializado no ensino de dança.

Sob seu comando, as alunas do espaço passaram a se apresentar mais, acompanhando óperas, como "Rigolleto", dançando em eventos beneficentes, como "Kermesse" – ambos em 1934 – ou em produções próprias, como "A Fada das Bonecas" (1936).

Em 1937, decidida a se especializar, a jovem passou um ano na Alemanha, onde estudou balé clássico com o casal russo Tatiana (1901-1993) e Victor Gsovsky (1902-1974) e dança expressionista com Mary Wigman (1886-1973). Tony teve ainda aulas com Juana de Laban (1910-1978), filha de Rudolf Laban (1879-1958), um dos precursores da notação e da dança moderna alemã.

No retorno, ela reassumiu o comando do Instituto de Cultura Física, mas, considerando o espaço apertado, fechou o lugar e o reabriu em outro endereço rebatizado de Escola de Bailados Tony Seitz Pethold. Além das aulas de ginástica, ela também aprofundaria o ensino de danças clássicas iniciado em 1931 por Lya Bastian Meyer, incluindo classes de iniciação à dança para crianças.

Pelas mãos de Tony passaram vários nomes que ajudaram a construir a história da dança acadêmica em Porto Alegre, como Beatriz Consuelo (1931-2013), Cecy Franck, Eleonora Oliosi, Jane Blauth (1937-2012) e João Luiz Rolla (1912-1999) – primeiro homem a integrar a escola de forma permanente.

Petzhold foi ainda professora do Curso de Formação de Professores do Instituto General Flores da Cunha e da Escola Superior de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), onde se formou em 1940.

Ela também foi responsável pela criação de vários grupos de dança gaúchos, como o Conjunto Coreográfico Porto-Alegrense (1959), Porto Alegre Ballet (1959), Companhia de Dança do Rio Grande do Sul (1961), Codança (1968) e Ballet Phoenix (1981).

Tony foi coreógrafa da TV Piratini, retransmissora da TV Tupi, a primeira emissora de televisão a se instalar em Porto Alegre, para a qual dirigiu o programa “Na Ponta dos Pés”, e integrou a comissão que fundou em 1969 a Associação de Professores de Dança Clássica do Rio Grande do Sul.

Entre prêmios e homenagens, recebeu os títulos de cidadã honorária da cidade de Bagé, emérita da Dança no Rio de Janeiro, cidadã de destaque de Porto Alegre e emérita e destaque nas artes em Porto Alegre.

Tony morreu em 2000 aos 86 anos. A última sede de sua escola, que foi fundada na década de 1950, foi reformada em 2012 com verbas particulares das sócias da Casa Cultural Tony Petzhold (Thais Petzhold e Didi Pedone) e financiamento coletivo. O espaço tem foco em formação, pesquisa, produção e transversalidades em dança, teatro,circo, educação somática, biodanza, artes plásticas, música e treinamento físico. É administrado pela neta de Tony, Thais Petzhold.
Bibliografia existente:
CUNHA, Morgada e FRANCK, Cecy. Dança: nossos artífices. Porto Alegre: Movimento, 2004.

DIAS, Carolina. Histórias do Instituto de Cultura Física de Porto Alegre : (1928-1937). Dissertação de Mestrado. Porto Alegre, UFRGS, 2011.

FREIRA, Ana Luiza. Tony Petzhold: Uma Vida Pela Dança. Editora Movimento. 2002. Série Dança volume 2.

 
Links:
(por Amanda Queirós | Pesquisa SPCD)

Tony dançando o balé \"A Salamandra do Jaraú\", em 1945 | Foto: Acervo Centro de Memória do Esporte da UFRGS

Tony em foto de 1935, quando atuava no Instituto de Cultura Física (ICF) | Foto: Acervo Thaís Petzhold
Rua Três Rios 363 | 1º andar| Bom Retiro
São Paulo | SP | CEP 01123-001
Tel: +55 11 3224-1380

Website desenvolvido por VAD