Secretaria da Cultura

go!
Cadastro para Jornalistas
Nome:
Email:
Veículo:
Função:
Endereço:
Cidade: Estado: Cep:
Telefone:
Cadastro para Jornalistas


Solicitação de cadastro enviada com sucesso!
Em breve faremos contato.
 


Olhares
A cidade de Bregenz, na ustria, espera a So Paulo Companhia de Dana, em maio, com os 1.750 ingressos do Bregenzer Frhling, Festspielhaus Bregenz esgotados. a terceira turn pela Europa do grupo, criado e mantido pelo Governo do Estado de So Paulo, em 2008, e j alimenta expectativas: trata-se da primeira estreia fora do Brasil.

Revista de Dana
fevereiro 2013

Visualizar outros depoimentos 

 



CARLOS MORAES (1936-2015), OBRIGADA!

Um dos artistas fundamentais para a consolidação da dança na Bahia, Carlos Moraes faleceu hoje, em Salvador. Ele foi um dos personagens da série Figuras da Dança, da SPCD, em 2010, e quando questionado por Inês Bogéa, diretora artística da SPCD, sobre o que era dança, respondeu: “Dança é vida”. Sua dança sempre será presente. Ele que iniciou seus estudos no Rio Grande do Sul, sua terra Natal, se profissionalizou no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, na década de 1960. Era professor, maître de ballet, coreógrafo e diretor. Chegou a Salvador no início dos anos 1970 para dar aulas de balé clássico para alunas da Escola de Ballet do Teatro Castro Alves (EBATECA). Em pouco tempo, o ensino da dança clássica e a concepção da dança cênica sofreram grandes alterações, com reverberações no campo sociocultural. Com um trabalho sério, Moraes misturou a dança afro, o balé clássico, a dança moderna e as manifestações folclóricas. Fez da miscigenacão uma matriz dos seus espetáculos. Saiba sobre ele em seu verbete do Dança em Rede

Temporada 2015

CORPO NO MUNDO
Em 2015 a São Paulo Companhia de Dança apresentará obras que vão do clássico ao contemporâneo, em séries marcadas pela diversidade e pelo ineditismo. Com cinco diferentes programas, a São Paulo fará quatro estreias e duas remontagens de grandes nomes do universo da dança, além de peças de sucesso que compõem o repertório da companhia.

A ideia que organiza essa temporada parte das influências e dos modos de pensar o mundo em movimento, se deixando permear pelos distintos olhares dos criadores. Embora existam pontos comuns que são da natureza humana em qualquer lugar, a maneira como o corpo se dá para o mundo na Espanha, em alguma medida, é diferente da Índia, da África, do Brasil, ou da Alemanha. E isso é algo que se reconhece de forma mais imediata quando estamos fora da nossa cultura. Não existe um corpo que não seja a expressão da sua cultura e de toda uma história social, que de uma forma ou de outra se traduz em gesto, expressão, movimento.

Há também a cultura da própria Companhia, que ao longo dos anos traz camadas de informações que se somam às experiências vividas de cada um dos artistas, seja da sua própria história, seja do diálogo que estabeleceu com cada criador que esteve ou está por aqui. E as culturas que absorvemos ao viver algum tempo em distintas partes do mundo.

A São Paulo tem circulado por diferentes lugares e muitas pessoas contribuem para o nosso repertório. Neste trânsito de ideias, movimentos e singularidades, construímos nossa identidade.



A brasileira Marcia Haydée criará Dom Quixote, um balé clássico a caráter, inspirado na novela do espanhol Miguel de Cervantes (1547-1616). Marcia é uma estrela da dança brasileira com consagração internacional. Dançou no Balé do Marquês de Cuevas, e no Stuttgart Ballet foi uma das grandes estrelas de John Cranko. Após a morte de Cranko, dirigiu a companhia por vinte anos e atualmente é diretora do Ballet de Santiago, no Chile. O argentino Mauricio Wainrot, diretor do Ballet Contemporáneo del Teatro Saint Martín, fará uma criação especial para a São Paulo. Faremos tambem uma noite especial com três obras, de diferentes fases, da carreira do coreógrafo tcheco Jirí Kylián: estrearemos Indigo Rose (1998) e reapresentaremos Petite Mort (1991) e Sechs Tänze (1986). Kylián é o coreógrafo que marcou a história do Netherlands Dance Theatre, criando obras de alcance internacional, ao dirigir a companhia por 23 anos. Dançaremos Workwithinwork (1998) de William Forsythe, segunda obra desse artista remontada para a Companhia com estreia na Temporada de Assinaturas 2015.



O coreógrafo brasileiro Clébio Oliveira criará para o Ateliê de Coreógrafos Brasileiros 2015. Clébio vive em Berlim desde 2008 onde desenvolve trabalhos de dança contemporânea. A SPCD ainda estreará outra criação de Binho Pacheco, jovem coreógrafo que também foi bailarino da Companhia.

Nos caminhos trilhados pela Companhia e seus artistas convidados – estado de São Paulo, Brasil, Argentina, Chile, Alemanha, Espanha, França, Holanda, Tchecoslováquia - temos um mapa afetivo que marca a trajetória desses criadores que fazem parte da nossa história.

Para fechar o ano a São Paulo oferece um programa especial no Theatro São Pedro, que você pode comprar além da temporada: uma noite de música ao vivo e dança. A orquestra do Theatro São Pedro, regida pelo maestro Luiz Fernando Malheiro, tocará para a Companhia dançar a Suíte de La Sylphide, o Grand Pas de Deux de O Cisne Negro, Le Spectre de La Rose e Petite Mort.



Junte-se à SPCD em mais uma temporada de espetáculos!
 
 
Inês Bogéa
Diretora artística da SPCD


 
Blog da SPCD
2° Ateliê Internacional SPCD
Durante o 2° Ateliê Internacional SPCD, os integrantes das Turmas de Jornalismo e de Fotografia, com a orientação de Eleni Destro e Wilian Aguiar, respectivamente, foram os responsáveis em revelar os bastidores e as curiosidades desse encontro da Dança. Clique aqui para conferir.

 

Cena de La Sylphide, de Mario Galizzi | foto: João Caldas
 
SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA | LIMEIRA
 
São Paulo Companhia de Dança retorna ao município de Limeira, interior de São Paulo, no dia 3 de julho (sexta-feira), às 20h, no Teatro Vitória (Praça Toledo de Barros, s/n – Centro) como convidada especial do encerramento da Mostra de Dança de Limeira e Região 2015. 

Na ocasião, o público poderá conferir a Suíte do 2° ato de La Sylphide e o Grand Pas de Deux de O Cisne Negro, ambas criações de Mario Galizzi para SPCD, a partir dos originais de August Bournonville e Marius Petipa, respectivamente. Além do espetáculo noturno, a SPCD promove, no mesmo dia, um Espetáculo Gratuito para Estudantes e Terceira Idade

SERVIÇO

SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA | MOSTRA DE DANÇA LIMEIRA E REGIÃO
Grand Pas de Deux de o Cisne Negro; e La Sylphide – ambas de Mario Galizzi a partir dos originais de 1895 de Marius Petipa (1818-1910) e de 1836 de August Bournonville (1805-1879), respectivamente.
 
Dia 03 de julho| sexta-feira, às 20h
Local: Teatro Vitória
Endereço: Praça Toledo de Barros, s/n – Centro / Limeira.
Telefone: (19) 3451-6679
Ingressos: A entrada é gratuita. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes do espetáculo
Classificação Indicativa: Livre
 
ATIVIDADES EDUCATIVAS
Todas as atividades são gratuitas.
Inscrições: www.spcd.com.br/proximas_atividades.php.
Informações: educativo@spcd.com.br
 
ESPETÁCULO GRATUITO PARA ESTUDANTES E TERCEIRA IDADE
Dia: 03 de julho | sexta-feira, às 15h
Local: Teatro Vitória
Cena de Grand Pax de Deux de o Cisne Negro, de Mario Galizzi | foto: Rogério Alves
 
SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA |INDAIATUBA
 
A São Paulo Companhia de Dança retorna ao município de Indaiatuba, interior de São Paulo, no dia 10 de julho (sexta-feira), às 18h, no CIAEI - Centro Integrado de Apoio à Educação de Indaiatuba (Av. Eng. Fábio Roberto Barnabé, 3665) como convidada especial da abertura do 23ª Passo da Arte. Na ocasião, o público poderá conferir o Grand Pas de Deux de o Cisne Negro, obra criada por Mario Galizzi para SPCD, a partir do original de Marius Petipa (1818-1910). 

SERVIÇO
 
SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA | 23° PASSO DA ARTE | INDAIATUBA
Grand Pas de Deux de o Cisne Negro, de Mario Galizzi a partir do original de 1895 de Marius Petipa (1818-1910)
 
Dia 10 de julho| sexta-feira, às 18h
Local: Centro Integrado de Apoio à Educação de Indaiatuba (CIAEI)
Endereço: Av. Eng. Fábio Roberto Barnabé, 3665 - Jardim Rêmulo Zoppi – Indaiatuba (SP)
Telefone: (19) 3875-6144
Ingressos para o 23º Passo da Arte: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia entrada*). Levando um pacote de leite em pó, o ingresso terá desconto de 50% no valor da inteira, a promoção não é válida para a meia entrada.
Classificação Indicativa: Livre
 
* Meia entrada: estudantes com carteirinha, crianças de 06 a 11 anos e pessoas a partir de 60 anos (necessário documento para comprovar). Crianças até 05 anos não pagam ingressos.
 
Cena de Litoral, de Mauricio Wainrot | foto: Wilian Aguiar

 
SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA | JUNDIAÍ


A São Paulo Companhia de Dança (SPCD) retorna a Jundiaí, interior de São Paulo, para uma temporada de espetáculos no SESC Jundiaí (Av. Antonio Frederico Ozanan, 6600, Jardim Botânico), nos dias 11 (sábado), às 20h, e 12 (domingo), às 18h, de julho.
 
Na ocasião o público poderá conferir as obras Grand Pas de Deux de o Cisne Negro, de Mario Galizzi a partir do original de 1895 de Marius Petipa (1818-1910); Céu Cinzento, de Clébio Oliveira; Mamihlapinatapai, de Jomar Mesquita com colaboração de Rodrigo de Castro; e Litoral, de Mauricio Wainrot.

SERVIÇO

SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA | SESC JUNDIAÍ (SP)
Grand Pas de Deux de o Cisne Negro, de Mario Galizzi a partir do original de 1895 de Marius Petipa (1818-1910); Céu Cinzento, de Clébio Oliveira; Mamihlapinatapai, de Jomar Mesquita com colaboração de Rodrigo de Castro; e Litoral, de Mauricio Wainrot.

Dias 11 e 12 de julho | sábado, às 20h; domingo, às 18h
Local: Teatro do SESC
Endereço: Av. Antonio Frederico Ozanan, 6600, Jardim Botânico – Jundiaí (SP)
Valor do ingresso/dia: 25,00 (inteira) / 12,50 (meia/estudante/ aposentados e maiores de 60) / 7,50 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo credenciados no Sesc e dependentes)
Classificação Indicativa: Livre

 
Rua Três Rios 363 | 1º andar| Bom Retiro
São Paulo | SP | CEP 01123-001
Tel: +55 11 3224-1380

Website desenvolvido por VAD